terça-feira, 20 de maio de 2008

O Profeta Popular

Nordestino sim, nordestinado não.
(Patativa do Assaré)

Nunca diga nordestino
Que Deus lhe deu um destino
Causador do padecer
Nunca diga que é o pecado
Que lhe deixa fracassado
Sem condições de viver

Não guarde no pensamento
Que estamos no sofrimento
É pagando o que devemos
A Providência Divina
Não nos deu a triste sina
De sofrer o que sofremos

Deus o autor da criação
Nos dotou com a razão
Bem livres de preconceitos
Mas os ingratos da terra
Com opressão e com guerra
Negam os nossos direitos

Não é Deus quem nos castiga
Nem é a seca que obriga
Sofrermos dura sentença
Não somos nordestinados
Nós somos injustiçados
Tratados com indiferença

Sofremos em nossa vida
Uma batalha renhida
Do irmão contra o irmão
Nós somos injustiçados
Nordestinos explorados
Mas nordestinados não

Há muita gente que chora
Vagando de estrada afora
Sem terra, sem lar, sem pão
Crianças esfarrapadas
Famintas, escaveiradas
Morrendo de inanição

Sofre o neto, o filho e o pai
Para onde o pobre vai
Sempre encontra o mesmo mal
Esta miséria campeia
Desde a cidade à aldeia
Do Sertão à capital

Aqueles pobres mendigos
Vão à procura de abrigos
Cheios de necessidade
Nesta miséria tamanha
Se acabam na terra estranha
Sofrendo fome e saudade

Mas não é o Pai Celeste
Que faz sair do Nordeste
Legiões de retirantes
Os grandes martírios seus
Não é permissão de Deus
É culpa dos governantes

Já sabemos muito bem
De onde nasce e de onde vem
A raiz do grande mal
Vem da situação crítica
Desigualdade política
Econômica e social

Somente a fraternidade
Nos traz a felicidade
Precisamos dar as mãos
Para que vaidade e orgulho
Guerra, questão e barulho
Dos irmãos contra os irmãos

Jesus Cristo, o Salvador
Pregou a paz e o amor
Na santa doutrina sua
O direito do bangueiro
É o direito do trapeiro
Que apanha os trapos na rua

Uma vez que o conformismo
Faz crescer o egoísmo
E a injustiça aumentar
Em favor do bem comum
É dever de cada um
Pelos direitos lutar

Por isso vamos lutar
Nós vamos reivindicar
O direito e a liberdade
Procurando em cada irmão
Justiça, paz e união
Amor e fraternidade

Somente o amor é capaz
E dentro de um país faz
Um só povo bem unido
Um povo que gozará
Porque assim já não há
Opressor nem oprimido

5 comentários:

Facundo disse...

cara, fiquie chocado quando me disseram que o patativa do assaré era não sabia escrever... e que ele ditava os poemas...

um gênio nato!

ótima poesia, bem a cara do nordeste mesmo, escrito por quem conhece de fato...

abraço cara!

lucas301 disse...

Massa mesmo esse texto Wendel ..trocadilho genial !! rsrs


Miquéias 6.8 : "Ele mostrou a você, ó homem, o que é bom e o que o Senhor exige: pratique a justiça, ame a fidelidade e ande humildemente com o seu Deus".


Abraço,

Lucas Queiroz

JC disse...

Deus não faz distinção entre nós, somos iguais e temos o mesmo potencial com dons distintos.

Então imagine, Patativa do assaré, nacionalmente conhecido pela beleza, pureza e maestria de seus poemas, era analfabeto e fez uma enorme diferença no mundo onde somente os letrads tem vez. Dom de Deus!

Nós que sabemos ler, escrever, alguns com nivel superior com cursos e mais cursos tambem podemos fazer a diferença em uma sociedade tão invertida. Basta trabalharmos e investirmos no nosso dom.

Assim como a simplicidade de Patativa, podemos fazer diferença onde vivemos.

Bela poesia!

Abração!!

Cláudio disse...

Muito interessante, grande mestre Wendell!!
Apesar de não saber escrever, como postou o amigo Facundo, cara, é incrivelmente impressionante, o quanto Patativa era um grande poeta!
Mas o que mais me chamou a atenção não foi essa somente essa "mágica" de ditar poesias tão maravilhosas, um verdadeiro dom, mas o que ele fala, como ele fala, como ele clama por um sertão "tão"(tão é pouco) sofrido. Mas o mais interessante mesmo é como ele exclui Deus de um erro, que como ele mesmo diz, vem de um governo que excluia e sempre excluiu e sempre vai excluir, infelizmente, esse povo sofrido! Além de grande poeta, mostravasse um grande homem, pois não reclamava como um homem que quer sempre encontrar algum culpado, nunca ele mesmo
(não no caso deles, que o culpado maior é o governo) mas mostrava a realidade para os seus "compatriotas" do sertão, talvez, o que eles poderiam não estar vendo!
Por que, assim, normalmente, e isso é muito comum, atribui se a Deus toda uma responsabilidade às catástrofes, "Ah, foi a vontade de Deus", e o patativa já tenta mostrar que isso não verdade, enfim!

Cara, um gênio da poesia!
Grande poesia essa, não no tamanho, hehehehe!!
Abração grande mestre Wendell!!!

ansof7 disse...

Porra do caralho!!!!
Salve, salve Patativa...